(Foto: Reprodução)

O governo dos Estados Unidos adquire 300 milhões de doses de uma vacina contra o coronavírus que está sendo testada pela universidade de Oxford, no Reino Unido.

O acordo, no valor de um bilhão e duzentos mil dólares, prevê uma terceira fase de testes em humanos que será realizada apenas em território norte-americano e com a participação de quase 30 mil pessoas.

Mesmo com a negociação, o governo britânico garante que a população do Reino Unido terá prioridade de imunização. A expectativa é de que a primeira leva de doses seja distribuída ao público em setembro deste ano.

Enquanto isso, na China, o governo decidiu não estabelecer uma meta de crescimento anual para 2020 em função dos impactos provocadas pelo coronavírus no país. Segundo autoridades chinesas, dada a grande incerteza causada pela pandemia, Pequim dará prioridade à estabilização do emprego e à garantia do padrão de vida da população.

As declarações foram dadas durante a abertura do Congresso Nacional do Povo, tradicional evento do Partido Comunista Chinês. Essa é a primeira vez que a China não estabelece uma meta de crescimento do PIB desde que o governo começou a publicar as previsões, em 1990.

Já na Itália, o número de denúncias de festas e aglomerações tem crescido desde a reabertura de bares e restaurantes. São diversos relatos de reuniões de jovens, sem máscaras, nas ruas.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, disse que esse não é o momento para festas e que o distanciamento social é necessário para manter a redução do número de contágios pelo coronavírus. São 228 mil casos da doença e 32 mil mortos no país.

E na América do Sul, o governo do Uruguai anuncia que as aulas presenciais serão retomadas nas escolas a partir de 1º de junho. Segundo o presidente Luis Lacalle Pou, a volta das atividades será progressiva e levará em conta avaliações do perfil dos alunos e a localização das cidades.

Apesar da reabertura dos espaços, algumas regras deverão ser seguidas para evitar a disseminação do coronavírus. As jornadas escolares não poderão ultrapassar quatro horas diárias e recreios e intervalos ocorrerão em turnos diferentes, por exemplo. São 749 casos da doença e 20 mortos em território uruguaio.

Em todo o mundo, há cinco milhões de infectados, quase dois milhões de pacientes recuperados e 332 mil mortes provocadas pela covid-19.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome