A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou em sessão extraordinária hoje de madrugada, por 48 votos a 37, o projeto de ajuste fiscal enviado em agosto pelo governador João Doria.

Os parlamentares ainda precisam analisar os destaques do texto substitutivo apresentado pelo relator Alex de Madureira (PSD) para que o processo de votação seja concluído.

Ainda não há data para a próxima sessão.

Segundo o governo paulista, o pacote de ajuste fiscal é necessário para conter um rombo de R$ 10 bilhões no orçamento do ano que vem por causa da pandemia do coronavírus.

O texto original previa isenção do IPVA apenas para deficientes físicos que possam conduzir veículos adaptados.

Mas, no substitutivo, passou a abranger também deficientes visuais, mentais, intelectuais severos e autistas impossibilitados de dirigir.

Também houve alterações em relação ao Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos (ITCMD) e às extinções de quatro órgãos públicos.

Foram retiradas do texto as Fundações para o Remédio Popular (Furp), Oncocentro (Fosp), os Institutos de Terras (Itesp) e de Medicina Social e de Criminologia (Imesc).

Ainda foram retirados dos repasses ao Tesouro os recursos do Fundo Especial de Despesa da PM, do Fundo de Segurança Contra Incêndios e Emergências e os superávits financeiros das universidades paulistas e da Fapesp.

Todos esses pontos serão votados separadamente nos destaques.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome