Prefeitura e governo fizeram operação na região no domingo e usuários se dispersaram para outros locais

Video: Hugo Vecchiato/ Radio Bandeirantes

Dias após a operação das polícias Militar e Civil na Cracolândia, no domingo ( 21), usuários de drogas já montam barracas na Praça Princesa Isabel, no Centro de São Paulo, bem próximo ao quadrilátero formado pela Rua Helvétia, Avenida Duque de Caxias e as alamedas Barão de Piracicaba e Cleveland, onde costumavam ficar.

Os usuários começaram a se reunir na Praça Princesa Isabel apenas para consumir drogas, mas agora ergueram barracas de camping e parecem estabelecer permanência fixa no local. O nome da facção que age dentro e fora dos presídios PCC foi escrita em uma das árvores da praça. Desde o início da operação conjunta entre Prefeitura e Governo do Estado, eles vinham migrando de rua em rua, afugentados pelas forças de segurança.

A operação na Cracolândia tem gerado diversas reações do poder público e de pessoas contrárias. Nesta quarta, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Doria deixaram entrevista coletiva sobre anúncio da Parceria Público-Privada na Nova Luz aos gritos de “fascistas”. Os manifestantes contestam a política do governo na região.

Mais tarde, em coletiva no gabinete da Prefeitura, o prefeito afirmou que não recuaria nas ações na Cracolândia. A Procuradoria do Município inclusive pediu à Justiça a internação compulsória de cerca de 400 usuários de drogas.
Uma decisão da Justiça, no entanto, proibiu as remoções compulsórias e também as demolições de prédios habitados na região. Na terça (23), a Prefeitura iniciou o processo de demolição de imóveis na Cracolândia e três pessoas que estavam em um prédio vizinho se feriram. Especialistas ouvidos pelo G1 consideraram as demolições arbitrárias.

A cruzada de Doria e Alckmin para por fim à Cracolândia começou no domingo, quando 38 suspeitos de traficar drogas foram presos. 976 policiais participaram da megaoperação, que apreendeu dez quilos de crack, três fuzis e outras armas. Mais de 500 pessoas foram encaminhadas para abrigos e ao menos 12, internadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome