O médico cujo vídeo viralizou nas redes sociais reclamando de ser impedido de trabalhar hoje por protestos de centrais sindicais afirma que foi chamado de “racista” e “coxinha” pelos manifestantes.

O radiologista Fernando Tranquilini mora em Salvador e contou à BandNews FM que só conseguiu chegar duas horas e meia após o planejado a um hospital por causa de um ato na região do Iguatemi, centro financeiro da capital baiana.

Ele se diz indignado com a falta de compaixão e empatia dos manifestantes, que protestavam contra as reformas previstas pelo governo federal.

Fernando Tranquilini relata que foi impedido por um grupo de cinco pessoas com cartazes e só conseguiu chegar ao destino depois de uma volta no caminho.

3 COMENTÁRIOS

  1. Um bando de vagabundos, desocupados, sem vergonhas, inúteis e desqualificados que não prestam para absolutamente nada a não ser impedir os outros de trabalhar. Bando de cretinos, ordinários!

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome