Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, advogado de Temer (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

Em entrevista à rádio BandNews FM, o advogado do presidente Michel Temer (PMDB) elogiou a postura do procurador-geral da República.

Nesta segunda-feira (06), Rodrigo Janot afirmou que vai abrir uma investigação para apurar eventuais crimes cometidos durante as negociações da delação premiada da JBS.

Parte desta colaboração sustentou a primeira denúncia apresentada pela PGR contra Michel Temer; a acusação pelo crime de corrupção foi rejeitada na Câmara dos Deputados no dia 2 de agosto.

Crítico de Janot, o advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira muda o tom e afirma que essa é a postura que se espera do Ministério Público Federal:

“Eu critico, mas também sei reconhecer quando a postura é correta. Desta vez, ele acertou”, dispara.

Sobre a atuação do ex-procurador da República Rodrigo Miller, Mariz de Oliveira aponta que a situação era previsível.

Miller, assim que deixou a PGR, passou a trabalhar no escritório de advocacia que liderou as negociações da delação premiada do grupo J&F.

“Nós já havíamos denunciado, anteriormente, irregularidades na postura de procuradores. Inclusive já havia escrito sobre o assunto, e agora ‘deu no que deu'”, alega.

Antônio Cláudio Mariz de Oliveira vai pedir formalmente, nesta terça-feira (05), o acesso aos novos áudios entregues por delatores da JBS.

O defensor ainda estuda se vai tentar anular as provas.

Mariz de Oliveira ainda considera a possibilidade de pedir a exclusão parcial do conteúdo entregue pelos irmãos Batista e pelo ex-executivo da JBS Ricardo Saud.

O advogado esclarece, contudo, que a definição só sairá depois que a defesa analisar os áudios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome