Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Prefeitura de Mairiporã orienta turistas a tomarem a vacina contra a febre amarela

O setor hoteleiro e as empresas de eventos têm distribuído materiais para recomendar a imunização, desde que o Governo do Estado confirmou três mortes pela doença neste ano.Uma quarta morte, de um homem na capital paulista, está sendo investigada. Todas as vítimas foram infectadas no município.

Nesta terça-feira, a Secretaria Municipal informou que subiu para 31 o número de casos suspeitos de febre amarela. Destes, 11 são óbitos, 17 pacientes estão hospitalizados e 3 tiveram alta.

Para combater o mosquito transmissor da febre amarela, vacina e informação! As duas armas têm sido utilizadas pelos empresários de Mairiporã, na Grande São Paulo.

A dona de uma pousada na cidade, Verena  Perez, envia há duas semanas um formulário para alertar a necessidade da imunização antes de reservar a hospedagem. Neste período, ela tem sentido a baixa pela procura dos leitos, desde que foram notificadas as três mortes pela doença no município.

O presidente do Conselho Municipal de Turismo de Mairiporã Jorge Chammas explica que estratégia de informar quem visita à cidade ocorreu, depois dos prejuízos do setor no fim de 2017.

Algumas entidades de turismo lançaram a hashtag “Turista Consciente” para que os estabelecimentos de Mairiporã alertem as pessoas sobre a necessidade da vacinação. As empresas de eventos, principalmente, que fazem cerimônias de matrimônio também têm orientado os convidados sobre a imunização.

A funcionária de um sítio, que celebra casamentos, Saionara Pieta conta que nas últimas semanas tem sido questionada sobre os cuidados com a febre amarela. Apesar da preocupação dos noivos e convidados, ela garante que a prevenção faz parte da rotina de quem trabalha neste segmento.

As empresas de eventos procuradas pela BandNews FM não tiveram casamentos cancelados por pessoas com medo da febre amarela e também não souberam mensurar se houve desistência de convidados devido à doença.

A secretária municipal de Saúde de Mairiporã, Graziele Bertolini, afirma que a Prefeitura intensificou uma campanha de conscientização sobre a febre amarela no comércio.

Equipes de infectologistas do Hospital das Clínicas de São Paulo e do Instituto de Infectologista Emílio Ribas já estão em Mairiporã. A ideia é que os especialistas ofereçam treinamentos para médicos e enfermeiros que estão à frente do atendimento de casos suspeitos de febre amarela na cidade.

O município não tem uma unidade hospitalar com estrutura para receber doentes graves pela doença. Após a entrada no hospital municipal de Mairiporã, os pacientes em estado agudo são transferidos para outras cidades.