O ex-prefeito de São Paulo, João Doria, se comprometeu a ficar os quatro anos do mandato de governador do estado de São Paulo caso seja eleito no pleito de outubro. Ele assinou um termo atendendo à solicitação do âncora do O É da Coisa, Reinaldo Azevedo:

O ex-prefeito de São Paulo e pré-candidato ao governo do Estado pelo PSDB, João Dória, disse considerar “natural” o alto índice de rejeição que tem entre os paulistanos.

Em entrevista à BandNews FM, ele comentou os dados da última pesquisa do Instituto Datafolha, que também mostraram que ele lidera as intenções de voto para as eleições deste ano, com 29%.

Sobre o índice de rejeição, que é de 33%, João Dória considera que se deve ao fato de ele ter deixado a Prefeitura para concorrer ao governo. Mas acredita que essa impressão vai mudar conforme o atual prefeito, Bruno Covas, for ficando mais conhecido.

O ex-prefeito de São Paulo diz não ter dúvidas de que todos os programas previstos pela administração municipal serão cumpridos até o fim do atual mandato, mesmo com a saída dele do cargo.

Admite, no entanto, que interposições feitas pela Promotoria Pública e pelo Tribunal de Contas resultam em alguns atrasos. João Dória faz uma autocrítica sobre a forma como lidou, no começou da gestão, com a questão do grafite da cidade.

Ele cita o caso da Avenida 23 de Maio, cujas obras foram apagadas para a colocação do chamado “corredor verde”. “Faltou diálogo prévio com os grafiteiros, e eu reconheço isso. Se tivéssemos conversado com eles naquele momento, não teríamos tido nenhum tipo de reação negativa.”

O pré-candidato pelo PSDB também reconhece um excesso de viagens nacionais que fez, mas afirma que as internacionais foram importantes para trazer investimentos para a cidade.

João Dória diz que, se sair vitorioso das eleições deste ano, pretende reproduzir, no Estado, iniciativas que tomou na capital, como privatizar serviços.

O ex-prefeito cita entre os planos, ainda, o aumento do efetivo das polícias civil e militar e do treinamento dos agentes, além da integração do trabalho das duas corporações.

E promete iniciar o processo de despoluição total dos rios Pinheiros e Tietê.

Ouça a entrevista:

7 COMENTÁRIOS

  1. Esse foi o pior prefeito que tivemos, Homem bom de propagando eruim de serviço.aAcidade de são paulo elegeu um prefeito candidato viajante, pois só fez propaganda e viajaou, e em um ano já quer ser governador mas pra que?

  2. A gente sabe que político mente muito. Promete e não cumpre, até porque tem que ter aprovação de outros, mas mentir em algo tão simples como ficar no governo até o fim dis 4 anos e sair com pouco mais de 1 ano, aí é demais. Se não cumpriu algo fácil, imagine o que for mais complexo?

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome