Em plena Copa do Mundo, todos os holofotes ficam voltados para os jogadores de futebol. E essas paixões, muitas vezes, inspiram crianças e adolescentes a sonharem com uma carreira, uma vida parecida com a daquele ser tão admirado.

É natural sermos motivados por exemplos. Mas até que ponto essa relação é saudável? Quando esse sentimento vira fanatismo? Há motivo para preocupação ou na infância e na adolescência isso é só uma fase?

Para te ajudar a refletir sobre tudo isso a indicação da psicóloga Rosely Sayão é o filme “A Onda”, do diretor Dennis Gansel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome