“Quando nos chamam de heróis, respondo que somos apenas pequenas peças de um enorme quebra-cabeça.”

A declaração é de um dos mergulhadores que participaram do resgate dos 12 adolescentes de uma caverna na Tailândia e do técnico de futebol deles.

O canadense Erick Brown, de 36 anos, falou com exclusividade à BandNews FM.

Ele está há um ano na Tailândia e nunca tinha participado de uma operação tão complexa como essa: “eu ensino as pessoas a mergulhar por diversão, costumo lidar com turistas, explico técnicas de socorro, mas ninguém está preparado para isso”.

Erick contou que não era possível enxergar nada embaixo d’água e que os mergulhadores eram guiados por uma corda.

Cem pessoas participaram de cada etapa dos resgates, mas no total, mais de mil, de várias nacionalidades, foram mobilizadas.

Os garotos foram sedados, embrulhados e transportados em macas.

O processo envolvia atravessar longas passagens estreitas, pouco maiores que o corpo de um adulto, e durou horas para resgatar cada menino.

Ouça a entrevista na íntegra:

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome