Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Lucas Veríssimo espera que Santos não seja punido pela Conmebol e confia em resolução rápida

A suposta escalação irregular de Carlos Sanchéz na partida contra o Independiente (ARG), pela Libertadores, é o principal assunto no Santos.

Enquanto o departamento jurídico do clube trabalha intensamente para evitar qualquer tipo de punição, os atletas acompanham o caso à distância.

O zagueiro Lucas Veríssimo espera que a equipe não tenha problemas. Mas, se por acaso, a Conmebol entender que o jogador realmente não tinha condições de atuar, o placar da partida passa a ser 3 a 0 para os argentinos.

Desta forma, a equipe santista precisaria de uma vitória por quatro gols de diferença, na próxima terça-feira, no Pacaembu, para avançar na competição.

“Tudo o que eu sei é através de vocês (imprensa). Eu procuro me manter focado no trabalho. Tenho certeza que o Santos está preparado para o que vier a acontecer. Espero que as coisas se resolvam de uma maneira positiva”, disse o zagueiro.

Em novembro de 2015, quando atuava pelo River Plate, Sánchez foi expulso no jogo de volta da semifinal da Copa Sul-americana contra o Huracán. A pena era de três jogos de suspensão.

Porém, em 2016, a Conmebol reduziu pela metade todas as suspensões pendentes de clubes e jogadores. A punição de Sánchez, então, passaria a ser de uma partida, que deveria ter sido cumprida na última terça.

No entanto, o Santos afirmou por meio da assessoria de imprensa que o jogador tinha apenas um jogo de suspensão para cumprir e que, com a anistia, estaria livre para atuar contra o Independiente. O caso é investigado pela Conmebol.