O botijão de gás está mais pesado. Quer dizer, os treze quilos continuam os mesmos. Me refiro ao preço! Depois do reajuste desta terça-feira nas refinarias da Petrobras, o quarto aumento consecutivo no valor do gás residencial, o bujão passou de R$ 22,13  em abril do ano passado, para R$ 25, 33 para as distribuidoras!

Até chegar ao consumidor final, ainda é preciso incluir os impostos como ICMS, PIS, COFINS…e como a definição de preços é livre, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo, o Sindigás, diz que não tem como estimar o impacto do aumento nas revendas.

Os ouvintes da Band News FM falaram sobre os diferentes valores cobrados, de acordo com a região. Na semana passada, o preço médio do botijão de gás doméstico em São Paulo estava em R$ 67,58, segundo um levantamento da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, a ANP.
E os motoristas também se queixam do GNV, Gás Natural Veicular. As tarifas tiveram aumento de 40% ! O gás encanado fornecido pela Comgás também ficou mais caro em São Paulo desde a semana passada: o aumento para consumidores residenciais varia entre 8 e 11%. Segundo a Companhia, o aumento ocorre devido ao custo do gás natural, influenciado pelo preço do petróleo e do câmbio.

Ouça o boletim:

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome