Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Luciano Bivar é alvo de busca e apreensão pela PF no caso dos laranjas do PSL

 

(Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo)

A Polícia Federal cumpre agora nove mandados de busca e apreensão na Operação Guinhol que visa combater desvios de verbas do Fundo Partidário.

Um dos alvos é o presidente do PSL, Luciano Bivar.

As suspeitas são de que partido político teria fraudado aplicação de recursos destinados às candidaturas femininas, em Pernambuco, destinado-os a outros fins.

A legenda é a mesma do presidente Jair Bolsonaro.

Ontem, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, destacou que qualquer casamento é passível de divórcio ao comentar a relação do político com o partido.

Os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Eleitoral em Pernambuco.

 

*Segue o comunicado da Polícia Federal:

 

Recife/PE – Polícia Federal deflagrou, nesta manhã 15/10, a Operação Guinhol* que visa cumprir nove mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco.

 

O inquérito policial foi instaurado por requisição do Tribunal Regional Eleitoral em Pernambuco para apurar a possível prática dos crimes tipificados nos artigos 350, 354-A do Código Eleitoral (Lei 4737/65) e 288 do Código Penal (associação criminosa), pois representantes locais de determinado partido político teriam ocultado/disfarçado/omitido movimentações de recursos financeiros oriundos do fundo partidário, especialmente os destinados às candidaturas de mulheres, após verificação preliminar de informações que foram fartamente difundidas pelos órgãos de imprensa nacional.

 

As medidas de busca e apreensão, deferidas pelo TRE/PE, visam esclarecer se teria havido burla ao emprego dos recursos destinados às candidaturas de mulheres, tendo em vista que ao menos 30% dos valores do Fundo Partidário deveriam ser empregados na campanha das candidatas do sexo feminino, havendo indícios de que tais valores foram aplicados de forma fictícia objetivando o seu desvio para livre aplicação do partido e de seus gestores.

 

* O nome da Operação Guinhol faz referência a um marionete, personagem do teatro de fantoches criado no Século XIX diante da possibilidade de candidatas terem sido utilizadas exclusivamente para movimentar transações financeiras escusas.