(Foto: Reprodução)

Será aberta amanhã, no Museu Afro Brasil, a exposição Heranças de um Brasil Profundo.

A mostra reúne mais de 500 objetos entre obras de arte e utensílios da cultura material indígena de raiz brasileira. A abertura está prevista para às 11h deste sábado.

A exposição encerra uma trilogia de eventos promovidos pelo Museu Afro Brasil que expande a visão sobre as contribuições artísticas e culturais dos povos que deram origem ao Brasil.

A trilogia teve início com “Africa Africans”, em 2015, e foi seguida por “Portugal, Portugueses – Arte Contemporânea”, em 2016. A educadora do Museu Afro Brasil, Dulce Conceição, afirma que a trilogia destacou a diversidade da arte que deu origem à cultura brasileira.

 

A exposição Heranças de um Brasil Profundo reúne arte plumária, adornos, máscaras, fotografias, esculturas, utensílios e arte contemporânea de povos e tribos indígenas. Entre as etnias retratadas estão Karajá, Marubo, Kayapó, Yanomami, Juruna, entre várias outras.

O curador do Museu Afro Brasil, Emanoel Araujo, afirma que as exposições tratam de linguagens diferentes, para iluminar a história da arte brasileira.

 

Como amanhã é aniversário de São Paulo, com parte das comemorações em homenagem aos 466 anos da cidade, junto com a abertura da exposição, o Museu Afro Brasil promove um pocket-show da rapper, atriz e ativista indígena Katú Mirim.

O professor Carlos Eugênio Marcondes de Moura, também realiza, durante o dia, o lançamento do livro “Viemos de longe, para longe vamos – Povos originários do Brasil”.

 

Integrantes da etnia Mehinako, habitantes da região conhecida como Alto Xingu, vão reproduzir uma instalação alusiva à chamada “Casa dos Homens”, local de reuniões nas aldeias.

A mostra é completa com fotografias de históricas e artísticas de indígenas. A exposição Heranças de um Brasil Profundo tem entrada gratuita no Museu Afro-Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome