O ministro da Saúde, Nelson Teich, deixa o governo Bolsonaro. O médico pediu exoneração nesta manhã após ficar menos de um mês no cargo – tomou posse no dia 17 de abril.

Com a saída de Teich, o secretário-executivo da pasta, o general Eduardo Pazuello, assume interinamente o cargo. Em nota oficial, o Ministério afirma que o oncologista pediu demissão. Assessores, no entanto, dizem que ele foi demitido.

Nos bastidores, a informação é de que o Teich foi dispensado por causa de discordâncias com o presidente Jair Bolsonaro.

O médico não queria apoiar abertamente o uso da cloroquina. Ele também não queria adotar um plano de flexibilização da quarentena mais ampla e mais rápido. Em seu discurso de despedida, o ex-ministro não explicou os motivos que o levaram a deixar a pasta.

Em outro trecho do rápido pronunciamento, Teich disse que não aceitou o convite para assumir o Ministério pelo cargo. Segundo o oncologista, ele aceitou porque achava que poderia ajudar o Brasil e as pessoas.

Falando aos jornalistas, já depois da coletiva, Teich revelou ter deixado pronto para os governadores e secretários estaduais um plano de combate ao coronavírus.

Ele acrescentou que a pasta já tem um programa de testagem pronto para ser aplicado.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome