Foto: Gustavo Basso/Folhapress

Apesar da flexibilização da quarentena e da provável reabertura parcial do comércio em diversos estados, o medo e a desconfiança têm pautado a vida de quem se manteve em casa nos últimos dois meses.

Inês de Castro:

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome