O Rio Grande do Sul e Santa Catarina entraram em estado de emergência fitossanitária por causa da possibilidade de que a nuvem de gafanhotos que se desloca pela Argentina chegue ao sul do Brasil. O decreto, assinado pela Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tem validade de um ano e abre a possibilidade para que um plano de supressão da praga seja implementado.

Ontem, o Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola colocou 426 aeronaves à disposição das autoridades, caso haja a necessidade de aplicação de algum produto contra os insetos. Por enquanto, o vento leva a nuvem de insetos para o Uruguai. As baixas temperaturas e a chuva – previstas para os próximos dias no Rio Grande do Sul – também dificultam a chegada dos gafanhotos ao Estado.

Outras pragas como essa foram registradas entre os anos 1930 e 1940, quando o número de inseticidas e capacidade de reação não eram os mesmos. Em 2017, um alerta chegou a ser emitido, mas a nuvem não alcançou o Rio Grande do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome