(Foto: Reprodução)

A União Europeia divulga nesta semana a lista de 14 países liberados para viagens ao bloco a partir de quarta-feira.

A expectativa é que Brasil, Estados Unidos e Rússia fiquem de fora por causa dos altos números de casos por coronavírus. Os três países apresentam as taxas mais altas da doença em todo o mundo, segundo levantamento da universidade Johns Hopkins.

Neste domingo, o planeta atingiu a marca de 500 mil mortes por Covid-19 e o número de casos ultrapassou a marca de 10 milhões. Na Europa, o coronavírus continua ativo – ainda que em ritmo menor – e já se fala em uma segunda onda de contaminação.

A Organização Mundial da Saúde fez um alerta para 30 países do bloco, incluindo Armênia, Suécia e Ucrânia.

Regiões mais afetadas pela pandemia, como Itália, Portugal, França e Reino Unido têm visto crescer focos específicos de contágio. Isso acontece quase um mês depois da reabertura gradual de espaços públicos, como transporte, praças e comércios.

Na opinião do físico e membro da plataforma Covid Brasil, que monitora a evolução da doença em tempo real, Domingos Alves, o cenário é reflexo da falta de cuidado dos cidadãos:

 

Apesar de o alerta continuar aceso, a maioria dos países europeus só optou pela reabertura depois de controlar as taxas de contágio. A Itália, por exemplo, que foi epicentro da pandemia no continente, registrou no último domingo o menor número diário de casos do coronavírus desde o dia 13 de março.

Foram 174 novos registros, elevando o total de pessoas infectadas desde fevereiro para 24 mil e 310. E esse tipo de controle da doença não foi visto em nenhum município brasileiro até agora, destaca o físico Domingos Alves:

 

O professor da USP ainda faz críticas ao critério usado por prefeitos no Brasil sobre ocupação de leitos em hospitais para justificar a reabertura de comércio e retomada de atividades:

 

Estados Unidos e Brasil são os únicos países a registrarem mais de 1 milhão de casos cada um e respondem por mais de um terço de todos os registros da doença no mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome