O senador José Serra, do PSDB, nega qualquer ilicitude depois de a Força-Tarefa da Lava Jato cumprir mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao político e à filha dele.

Segundo o Ministério Público, José e Verônica Serra esconderam origem, localização e a propriedade de valores sabidamente provenientes de crimes, praticando assim atos de lavagem de capitais. 

De acordo com a denúncia, a Odebrecht repassou 4 milhões e meio de reais entre 2006 e 2007 e mais 23 milhões entre 2009 e 2010 por meio de empresas abertas em paraísos fiscais. 

O MP alega, ainda, que a propina era enviada a off-shores ligadas à empresa. 

O PSDB de São Paulo se manifestou dizendo que defende a investigação dos fatos quando há questionamento envolvendo agentes públicos, mas que tem confiança no senador José Serra. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome