O governo federal prorroga até 2 de outubro a isenção do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para a concessão de crédito. A alíquota do tributo havia sido zerada em abril para amenizar os efeitos da pandemia do coronavírus.

A isenção valia até a última sexta-feira, mas o decreto publicado no Diário Oficial da União mantém a alíquota zero sobre operações de crédito contratadas no período.

Quando anunciou a desoneração do imposto de abril a julho para baratear as linhas de financiamento, a Receita Federal estimou um custo de R$ 7 bilhões ao governo.

Somente no mês de maio, a arrecadação registrou uma queda de cerca de R$ 2 bilhões devido à isenção do IOF nas operações de crédito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome