(Foto: Nina Barbosa/G1)

A polícia apreende 18 mil litros de cloro e seis mil litros de soda caustica em galpões no litoral e na Grande São Paulo.

Malotes com documentos e computadores da transportadora Tesla Transporte e Logística, principal alvo da investigação, também foram apreendidos.

Os presos são investigados por participação em um esquema criminoso, que furtava cloro e outros produtos químicos que deveriam ser entregues em estações de tratamento da Sabesp.

O roubo acontecia no transporte da carga de Cubatão, no litoral, para as estações de tratamento da companhia de abastecimento do estado de São Paulo.

Parte dos caminhões era desviada para propriedades particulares, onde até 20% da carga era roubada e substituída por água antes de os veículos seguirem viagem. Os produtos então eram vendidos com notas frias para pequenas empresas.

Segundo o delegado André Santos Legnaioli, a polícia já tem ciência dos receptadores do cloro roubado:

 

A Sabesp atende quase 30 milhões de pessoas. A companhia afirma que não houve risco para o consumidor, já que a água tratada é analisada em laboratório antes do fornecimento.

Ela ressalta, ainda, que cumpriu todos os ritos previstos em lei para contratar os serviços da Tesla Transporte e Logística.

A transportadora, por sua vez, disse que não vai comentar nem interferir nas investigações e que não teve acesso aos autos do processo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome