Os professores das escolas particulares da cidade do Rio de Janeiro decidem, em assembleia virtual, manter a greve iniciada no dia 6 de julho.

Diante da possibilidade de retorno às aulas presenciais no município, os docentes dizem que não se sentem seguros para voltar às salas de aula em meio a pandemia de coronavírus.

A assembleia, que ocorreu neste sábado, teve a presença de mais de 500 professores, segundo o Sinpro-Rio. A maioria, 98%, foi favorável à continuidade da greve.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome