O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Jilmar Tatto, critica a atual gestão no combate à pandemia do coronavírus.
O petista foi o convidado de hoje da série de entrevistas das rádios BandNews FM e Bandeirantes com os participantes da eleição municipal deste ano na capital paulista.
Segundo Jilmar Tatto, a partir do momento em que as escolas fecharam, a Prefeitura deveria ter elaborado um plano pedagógico, além de ter promovido testes em massa nos estudantes e professores.
Em relação à educação, o ex-secretário diz que faria tudo diferente do que fez Bruno Covas.
Tatto é contra a proposta de contratação de vagas na rede particular para suprir a demanda da rede pública.
E diz ainda que não faz sentido a ideia do voucher, por meio de aplicativo, para que pais e mães comprem material e uniforme dos filhos.
O pré-candidato do PT também diz que é, sim, possível, colocar 100% da frota de ônibus circulando diariamente.
As propostas para o pós- pandemia giram em três eixos: a criação de um programa de renda, implementação de transporte público gratuito, começando pelos desempregados, e investimento em produções culturais.
As promessas, no entanto, podem esbarrar na Orçamento que, para 2021, está mais apertado, fora a previsão de uma queda brusca na arrecadação.
Questionado sobre de onde viria o dinheiro para implementar as propostas, Tatto não respondeu se aumentaria impostos.
Mas defendeu que é possível fazer muito com o atual orçamento, defendendo que o novo prefeito precisa ser “criativo”:
Segundo Jilmar Tatto, ainda que a maioria hoje na Câmara Municipal apoie a gestão Covas, o petista não teria dificuldade para fazer interlocução política.
Isto porque, na visão dele, os vereadores não se negam a discutir projetos importantes.
Mesmo com as críticas às ciclovias implementadas na gestão dele como secretário, durante o governo Haddad, Jilmar Tatto afirma que vai ampliar o número de vias exclusivas para bicicletas.
Entre as reclamações estão pavimentação, sinalização ruim e problemas de projeto.
Para Tatto, se a proposta fosse ruim, as gestões que vieram depois, que também teriam que ter responsabilidade sobre as eventuais falhas, modificariam as ciclovias, mas isso não aconteceu.
Para o trânsito, o petista disse que não tem um martelo batido sobre uma possível redução do limite de velocidade nas Marginais.
O próximo pré-candidato à Prefeitura de São Paulo a ser entrevistado será Andrea Matarazzo, do PSD, na segunda-feira.

 

Acompanhe a entrevista completa:

1 COMENTÁRIO

  1. Não Voto em vossa excelência nunca,como nunca esqueço do seu apoio contra as 30 horas de enfermagem….

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome