O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pretende gastar R$ 826 mil na compra de novos notebooks. Serão, ao todo, 100 computadores, de última geração. Cada um vai custar mais de R$ 8 mil.

Segundo o próprio CNJ, parte dos laptops – 37 deles – vai substituir os notebooks adquiridos em 2018 e que ainda estão na garantia. Na época, o Conselho já havia gasto R$ 506 mil.

A outra parte vai repor outros que, de acordo com a licitação, estão apresentando defeitos e são obsoletos.

O pregão será realizado na próxima segunda-feira (5).

O Conselho Nacional de Justiça é o mesmo que, nos últimos meses, aprovou dois novos penduricalhos a juízes e desembargadores: o chamado adicional de acervo e a possibilidade de a categoria vender 1/3 das férias.

Lembrando que os magistrados têm 60 dias de “descanso” por ano – ou seja, poderão vender 20 dias.

Ainda em 2018, o CNJ adquiriu 762 computadores normais, com gabinete, ao custo de mais de R$ 2 milhões.

Em nota, o CNJ esclarece que a demanda por notebooks cresceu durante a pandemia e, por isso, os adquiridos em 2018 não foram suficientes para dar vazão ao número de solicitações.

O órgão disse ainda que, apesar do descrito no edital, os notebooks serão adquiridos conforme a necessidade.

Em relação ao preço, o CNJ informou que o valor de R$ 8 mil diz respeito a quantia máxima que cada aparelho pode custar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome