Foto: Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal negou o pedido da defesa de Flordelis para suspender o uso da tornozeleira eletrônica. Com isso, a deputada federal vai continuar sendo monitorada e precisa estar em casa entre onze da noite e seis da manhã.

Segundo a decisão da ministra Carmen Lucia, a exceção é quando houver compromissos relacionados a funções legislativas.

Flordelis demorou quase três semanas para se apresentar desde que foi intimada a colocar a tornozeleira eletrônica.

A parlamentar cumpriu a medida no dia 8 de outubro.

Flordelis é apontada pelo Ministério Público do Rio como a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho do ano passado.

O Órgão já pediu a suspensão da função pública da deputada por um ano.

A alegação é de que a pastora teria constrangido testemunhas com auxílio dos poderes da função pública que exerce.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome