Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Presidente do COB afirma que ajustes devem ser feitos na organização da Olimpíada por causa do coronavírus

O Comitê Organizador Local dos Jogos Olímpicos de Tóquio e o Comitê Olímpico Internacional estão otimistas para a realização do maior evento esportivo do mundo.
Isso apesar de ainda não se ter a comprovação da eficácia de uma vacina contra o coronavírus.
Alguns ajustes na logística devem ser feitos por causa da pandemia como a possível redução do público nas instalações das competições.
Segundo o presidente do Comitê Olímpico do Brasil, Paulo Wanderley, outros pontos foram abordados na reunião como o transporte interno.
Em entrevista exclusiva à Rádio BandNews FM, o presidente do COB explicou que a entidade tem acompanhado de perto o retorno dos atletas às competições depois da paralisação por causa do coronavírus.
Mais de 200 atletas do Time Brasil foram treinar em Portugal, como parte da Missão Europa, visando a preparação para a Olimpíada.
O país tem 177 vagas garantidas para os Jogos Olímpicos de Tóquio, que começam no dia 23 de julho de 2021.
Apesar de não ter uma meta definida para as subidas ao pódio, a entidade deseja superar a campanha da Rio-2016, a melhor da história, com 19 medalhas e o 13º lugar na colocação geral.
Confira a reportagem para o quadro “Na Trilha do Pódio”: