Imagem: Reprodução

O presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) avalia que é preciso encontrar uma solução urgente para que o Brasil não desperdice quase 7 milhões de teste RT-PCR que vão vencer até janeiro.

Entrevistado pela BandNews FM, Carlos Lula disse que não sabia do estoque de exames que está parado, caso revelado pelo jornal O Estado de São Paulo.

Ele também explicou como está a negociação dos secretários com o governo federal, destacando que os estados têm solicitado outros tipos de teste, não o RT-PCR, por falta de insumos e equipamentos para coleta.

Além disso, apenas 10 laboratórios centrais de saúde pública receberam equipamentos para analisar os resultados de RT-PCR.

Carlos Lula ressaltou que os estados só começaram a receber insumos para coleta dos exames a partir de agosto, sendo que alguns materiais chegaram em setembro.

E um dos contratos foi cancelado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome