A colunista da BandNews FM Mônica Bergamo afirma que, mesmo com a derrota de Guilherme Boulos, do PSOL, para Bruno Covas, do PSDB, em São Paulo, surge uma nova liderança de esquerda que terá que sentar à mesa para qualquer conversa.

A jornalista destacou que a eleição da capital paulista teve características interessantes, principalmente, pelo nível da disputa.

“Fizeram reverências à história do campo de cada um deles. O Boulos fazendo reverência à Luiza Erundina, também nunca rompeu e nunca atacou o ex-presidente Lula; o Bruno Covas, neto do Mário Covas. Eles conseguem conectar bem a história do passado dos seus respectivos campos, mas sinalizando autonomia para um futuro”, comentou Mônica.

A colunista também entende que só o fato de Guilherme Boulos ter ido para o segundo turno em São Paulo já foi uma vitória.

Ela pontuou o crescimento do candidato e do PSOL pelo Brasil e disse que, talvez, Boulos pegue o bastão do ex-presidente Lula de uma maneira suave.

Mônica diz que o país está em outro momento, mas que a esquerda nunca teve uma liderança que conseguisse contrastar com o Lula.

Já Dora Kramer avalia que Guilherme Boulos conquistou um grande espaço nessa disputa para a prefeitura de São Paulo.

A colunista da BandNews FM fala que o político poderá continuar no papel de pedra e deixar Bruno Covas como vidraça.

“Ele vai saber administrar os ganhos da campanha. Mostrou muita expertise política, teve um comportamento de adulto, inclusive no tratamento dado ao adversário.”

Para Dora, Boulos vai se movimentar em direção a 2022.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome