Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Vice do COB projeta restrições na Olimpíada por causa da Covid-19

O vice-presidente do Comitê Olímpico do Brasil, Marco La Porta, projeta restrições nos Jogos Olímpicos de Tóquio por causa da Covid-19.

La Porta afirma que nas últimas reuniões com o Comitê Olímpico Internacional, alguns assuntos foram debatidos como o uso da máscara no pódio e as possibilidades de patrocínio no acessório.

Na visão do dirigente, o COI discute como vai organizar os Jogos e não estuda um possível cancelamento, adotando um tom otimista mesmo sem o início de uma vacinação em massa.

Com o adiamento dos Jogos Olímpicos para o dia 23 de julho do ano que vem, o COB renegociou, sem custos, as 9 bases do Time Brasil no Japão, que vão possibilitar uma aclimatação dos atletas, inclusive com culinária brasileira.

Em entrevista para o quadro “Na Trilha do Pódio”, o chefe da missão do Time Brasil em Tóquio, Marco La Porta, explica que a Missão Europa vai terminar no dia 12 de dezembro, com a ginástica de trampolim, em Portugal.

Por causa do sucesso do projeto, que levou 200 atletas para um período de atividades no exterior, o COB estuda fazer uma nova edição no ano que vem, visando à preparação para os Jogos.

Até o momento, o Brasil tem 172 atletas classificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

O COB espera que a delegação tenha em média 270 representantes.

O objetivo é superar a melhor campanha da história, na Rio 2016, com 19 medalhas, que resultou no décimo terceiro lugar.

No ano passado, o Brasil se destacou nos Jogos Pan-Americanos de Lima, com a melhor campanha da história, colecionando 171 medalhas e só perdendo para os Estados Unidos na classificação geral.

E nos Mundiais de 2019, foram 22 conquistas.

Confira a entrevista na íntegra com o vice-presidente do COB, Marco La Porta:

Confira a reportagem para o quadro “Na Trilha do Pódio”: