Foto: CNA/Wenderson Araujo/Trilux

O agronegócio é o único entre os grandes setores da economia a passar 2020 com números positivos, de acordo com o IBGE.

Os dados até outubro mostram que foram abertos mais de 100 mil vagas de emprego, enquanto as exportações subiram 5,7% no mesmo período.

O resultado está em consonância com o aumento já esperado da safra deste ano.

A expectativa é que o setor alcance o número de 268 milhões de toneladas de grãos ainda em 2020.

Para o assessor econômico da Confederação da Agricultura e Pecuária, Paulo André Camuri, os resultados poderiam ser melhores do que os apresentados, não fossem os impactos provocados pela crise de coronavírus.

Setor de indústria e de serviços sofre queda, mas o de transformação cresce

Apesar da alta no último trimestre, o setor de Indústria e de Serviços registrou perdas entre os meses de janeiro e setembro.

De acordo com o IBGE, houve crescimento de 14,8%, com destaque para a área de “transformação”.

A área teve alta de 23,7%. Isso abrange, por exemplo, a produção agroindustrial, que produz açúcar a partir da cana.

Segundo Marcelo Azevedo, que é gerente de análise econômica da CNI, a elevação já era esperada, apesar da queda significativa de 19% no trimestre passado.

Para Azevedo, um fator que contribuiu para esse crescimento foi o auxílio emergencial.

Serviços registram alta de 6,3%, com possível influência do auxílio emergencial

Também foram apresentadas altas em eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (8,5%), serviços (6,3%), construção (5,6%) e indústrias extrativas (2,5%).

Dentro do ramo de serviços, a maior fatia de participação no PIB é do comércio, com 15,9%, seguido pelas atividades de transporte, armazenagem e correios, que correspondem a 12,5%.

O Presidente da Central Brasileira do Setor de Serviços, João Batista Diniz Junior, comemorou o resultado após o período de recessão.

Ele disse que o auxílio emergencial foi essencial para este momento de pandemia.

Apesar da possível contribuição dos auxílios para a recuperação do setor de serviços, o Governo Federal deve suspender os pagamentos concedidos durante à pandemia, diante do resultado do Produto Interno Bruto (PIB).

A possibilidade foi anunciada pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia.

O PIB brasileiro cresceu 7,7% no terceiro trimestre de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome