Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, Mizael Conrado, projeta Brasil no top 10 em Tóquio 2021

O Comitê Paralímpico Brasileiro busca o top 10 no quadro de medalhas nos Jogos de Tóquio, em 2021.
Na Paralimpíada Rio-2016, o país conquistou o maior número de pódios em todas as edições com 72 medalhas.
Bicampeão paralímpico no futebol de 5 para cegos, Mizael Conrado é o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro desde 2017.
Entre os principais troféus com a seleção brasileira da modalidade estão o bicampeonato mundial e paralímpico, além de ter conquistado o título de melhor do mundo, em 1998.
Mizael Conrado tem a missão de manter o Brasil como referência no esporte paralímpico.
Em entrevista para o quadro “Na Trilha do Pódio”, o dirigente disse que pretende contar com uma delegação de aproximadamente 200 atletas.
A nadadora Edênia Garcia (presidente do conselho fiscal do CPB), Mizael Conrado (presidente do CPB) e o ex-atleta do atletismo Yohansson Nascimento (vice-presidente do CPB) posam para foto durante assembleia no CT Paralímpico. Foto: Ale Cabral/CPB
O Comitê Paralímpico Brasileiro renovou o contrato com a cidade japonesa de Hamamatsu, onde será a base para a aclimatação dos atletas brasileiros.
Mizael Conrado, que foi reeleito presidente do CPB, destaca que com o cenário incerto em meio à pandemia do coronavírus, o planejamento é modificado diariamente.
Até o momento apenas 50 atletas da natação, tênis e mesa e atletismo estão treinando no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.
A Paralimpíada de Tóquio começa no dia 24 de agosto.
Confira a entrevista na íntegra com o presidente do CPB, Mizael Conrado: