Foto: Doug Patrício /Folhapress

A contaminação na cervejaria Backer, em Minas Gerais, completa hoje um ano. No entanto, os sobreviventes da intoxicação causada pela cerveja ainda têm um longo caminho para recuperação total da saúde. O engenheiro Luiz Felippe Ribeiro ficou em coma mais de 3 meses. Ele perdeu o sogro Paschoal Demartini, que também foi intoxicado, e agora precisa lidar com limitações no dia-a-dia.

Pelo menos 29 pessoas foram intoxicadas por dietilenoglicol, sendo que 10 delas morreram. Ao todo, 10 pessoas ligadas à cervejaria foram denunciadas pela contaminação, sete delas também por homicídio. Três sócios respondem por não terem tirado os produtos do mercado, mesmo depois de saber dos problemas. Na esfera cível, a cervejaria Backer tem fechado acordos sigilosos de compensação com algumas famílias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome