O setor de serviços avançou 2,6% de outubro para novembro de 2020. Apesar do sexto mês consecutivo de alta e de ganho acumulado de 19,2% nesse período, o resultado não compensou as perdas entre fevereiro e maio. Segundo o IBGE, o volume de serviços no Brasil ainda está 14,1% abaixo do recorde histórico, registrado em novembro de 2014, e 3,2% inferior a fevereiro de 2020.

Os destaques para o resultado divulgado nesta quarta-feira foram os transportes, que acumulam ganho de 26,7% entre maio e novembro. Já os serviços prestados às famílias registraram a quarta alta seguida e acumulam 98,8% de elevação nos últimos sete meses, mas ainda precisam crescer 34,2% para retornar ao patamar de fevereiro.

A Pesquisa Mensal de Serviços mostrou ainda que as atividades presenciais são as que mais têm dificuldades, isso porque o setor ainda não conseguiu recuperar as perdas da pandemia. O IBGE também comparou o resultado de novembro do ano passado com o mesmo mês de 2019. Nessa conjuntura, o volume de serviços registrou queda de 4,8%, a nona taxa negativa seguida no indicador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome