Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Reinaldo Azevedo: Para Bolsonaro, basta dar dinheiro e a imprensa para de estampar mortos em jornais

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Nesta terça-feira, o Brasil atingiu a triste marca de 4.211 mortos pela Covid-19, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa. Um novo recorde de vidas perdidas durante a pandemia.

Diante de números tão assustadores, é óbvio que esperamos que o presidente da República admita a gravidade da tragédia e diga a coisa certa aos brasileiros. Mas, para tanto, precisaríamos de alguém que não fosse Jair Bolsonaro.

Ontem, durante conversa que mantém com os desocupados que beiram a porta do Planalto, Bolsonaro resolveu fazer graça, dizendo: “Prende o cara em casa, aumentou o peso. Eu aumentei a barriga”. Se ele está afirmando que a barriga aumentou por desocupação, lamento, mas não há falta de trabalho para um presidente da República.

Em outro momento, ao ser indagado sobre o número de mortos no país, disse o seguinte: “Você podia ver, até um ano e pouco atrás, um policial batia num bandido e toda a esquerda ia contra. Agora está o cidadão de bem…” e não completou a frase. O que ele quer dizer com isso? Primeiro, Bolsonaro naturaliza a violência do Estado sobre alguém que está sob sua guarda, o que é crime. Em segundo lugar, ele compara quem está sob medidas de restrição, impostas corretamente por governadores e prefeitos para conter a propagação de um vírus que já levou quase 340 mil brasileiros, ao bandido que não pode sair da cadeia, fazendo mais uma lamentável apologia às aglomerações.

Outra evidência de que Bolsonaro não tem noção da gravidade do problema do país está em mais uma de suas afirmações: “Eu resolvo a questão do vírus em poucos minutos. É só pagar o que os governos pagavam no passado para a Globo, Folha, Estado…”. Para o líder do Planalto, todas as notícias que a imprensa dá sobre a pandemia são consequência da falta de pagamento.

Jantar com empresários

Nesta quarta-feira, Bolsonaro se reunirá para um jantar com empresários importantes. Há de se esperar que esses o levem para o caminho correto, e não que Bolsonaro os desvie da verdade, pois a situação do país é a pior possível.

Acompanhe a análise completa de Reinaldo Azevedo:

O É da Coisa

Você pode acompanhar as análises dos principais assuntos do dia feitas por Reinaldo Azevedo no programa “O É da Coisa”, com Alexandre Bentivoglio e Bob Furuya, de segunda a sexta-feira, das 18h às 19h20, aqui na BandNews FM: