Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Reportagem especial: Massacre de Realengo completa 10 anos e ainda deixa traumas nos que viveram a tragédia

A estudante de direito Thayane Tavares Monteiro, de 23 anos, carrega na memória o trauma de um dos crimes mais bárbaros do país: o Massacre de Realengo. No dia 7 de abril de 2011, Wellington Menezes de Oliveira, ex-aluno da Escola Municipal Tasso da Silveira, invadiu o colégio, em Realengo, no Rio de Janeiro, e, armado, matou 12 alunos, sendo dez meninas.

Foto: BandNews FM Rio

Thayane foi uma das sobreviventes. Além das lembranças do ataque, ela traz, no corpo, as marcas do episódio. Os disparos deixaram, além dos mortos, 22 alunos feridos. Após a chegada da Polícia Militar, o atirador foi atingido por dois tiros e, antes de ser detido, se suicidou.

Dez anos depois, o Massacre de Realengo ainda atormenta as famílias das vítimas. Acompanhe a reportagem completa a seguir: