Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Caso Henry: Presos hoje pela morte do menino, Jairinho teria praticado tortura e mãe sabia das agressões

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prende a mãe e o padrasto do menino Henry Borel pelo assassinato do menino há um mês. Os mandados contra o vereador Jairinho e Monique Medeiros são de prisão temporária. Os investigadores afirmam que o menino foi torturado pelo parlamentar e que mãe sabia das agressões há meses.

O casal estava na casa do pai do político do Solidariedade, o ex-deputado estadual Coronel Jairo e chegaram à delegacia.

A mãe e o padrasto disseram que o menino, de 4 anos, sofreu no dia 8 de março um acidente doméstico na residência da família em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca. No entanto, laudos médicos mostraram que a criança tinha lesões que apontavam violência.

INDÍCIOS DE AGRESSÕES HÁ PELOS MENOS UM MÊS

As investigações apontam que Jairinho é o responsável pela morte da criança de 4 anos, e que o político do Solidariedade vinha agredindo Henry há pelo menos um mês. Ainda segundo a Polícia Civil, Monique Medeiros sabia das agressões.

o menino Henry Borel. Foto: Reprodução/Arquivo

Inicialmente, Jairinho e Monique diziam acreditar que a criança havia sofrido um acidente doméstico, ao cair da cama do casal. No entanto, as perícias feitas pela Polícia Civil descartaram a hipótese. O laudo do IML constatou múltiplas lesões no corpo da criança.

De acordo com o documento, as causas da morte foram hemorragia interna e laceração do fígado.

PAI DESCARTADO

Foto: Henry Borel ao lado do pai, Leniel Borel. Foto: Reprodução/Arquivo

No fim de março, a Polícia Civil descartou a participação de Leniel Borel, pai de Henry Borel, na morte da criança de 4 anos. Analisando imagens de câmeras de segurança, os agentes concluíram ainda que Henry chegou bem da casa do pai, após o fim de semana, no dia 7 de março. Depois de ir a uma padaria com o filho, a mãe leva a criança no colo até o elevador, onde os dois são recebidos por Jairinho.

O vereador chega a fazer carinho nas costas e no cabelo do menino. Nesse momento, a criança tenta se aproximar mais da mãe. Foi a última vez que Henry foi visto com vida, nos registros de câmeras de segurança analisados pela Polícia Civil.

Acompanhe: