Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Com a conclusão da vacinação de idosos, Ministério da Saúde prioriza os pacientes crônicos

Foto: Jennifer Lorenzini/REUTERS

Com a conclusão da vacinação de idosos de 60 anos ou mais na maioria dos estados do país, o Ministério da Saúde afirma que os pacientes crônicos e pessoas com comorbidades são os próximos na fila de prioridades da vacina contra a Covid-19.

O Programa Nacional de Imunizações já prevê que pessoas com doenças crônicas e deficiências sejam vacinadas com prioridade, mas até agora, apenas os idosos e os profissionais de saúde estavam sendo vacinados.

Segundo o ministério, estados e municípios têm autonomia para adequar a aplicação das doses conforme as demandas locais.

É importante que pessoas pertencentes ao grupo das comorbidades estejam pré-cadastradas no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações ou em alguma unidade de saúde do SUS.

Porém, quem não tiver inscrição, pode apresentar, no momento da aplicação da dose, qualquer comprovante que demonstre pertencer a um destes grupos de risco, como exames, receitas, relatório médico ou prescrição médica.

Atualmente o Brasil tem 12.59% da população vacinada.

Cada estado está apto a decidir por quais pessoas mais vulneráveis começar a vacinação, confira a imunização atual de cada estado pelos repórteres da Rádio BandNews FM:

Em entrevista à BandNews FM, a infectologista Carla Domingues afirma que a principal questão é definir quais comorbidades entram antes no programa de vacinação: “Se não temos vacina para todos, precisamos de uma orientação nacional e o Ministério da Saúde tem os dados necessários para definir quais pessoas com comorbidades precisam ser vacinadas antes”.