Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Ministro da Economia apresenta dados recordes na arrecadação de impostos e volta a defender a vacinação em massa para recuperação

Foto: Fábio Rodrigues

Com um total de quase R$ 138 bilhões, a arrecadação de impostos pela União bateu recorde no mês de março de 2021.

Segundo a Receita Federal, o índice registrou um aumento real, ou seja, descontado a inflação, de 18,19% maior do que o que foi registrado no mesmo mês de 2020.

Além disso, nos três primeiros meses deste ano, a arrecadação federal somou quase R$ 446 bilhões, o que representa uma alta de 5,64% na comparação com o mesmo período do ano passado, também um novo recorde.

No entanto, ainda de acordo com o governo, a arrecadação federal ainda não foi atingida pela segunda onda da Covid-19 no país, já que esse montante é resultado do que ocorreu em fevereiro deste ano.

Assim, possíveis efeitos da pandemia só devem ser registrados na arrecadação deste mês de abril.

Durante o anúncio, o ministro da Economia, Paulo Guedes, comemorou o resultado, afirmou que o Brasil se levantou e destacou a importância da vacinação em massa e a aprovação do Orçamento.

O ministro destacou ainda a importância de serem reeditados, neste ano, programas voltados para a recuperação da economia brasileira. 

Guedes fez referência ao Pronampe e também à iniciativa que permitiu que empresas reduzissem jornadas e salários no ano passado em função dos efeitos negativos da pandemia na economia.  

Para o especialista em Gestão Pública e professor no CEUB, Oto de Oliveira, o resultado mostra que os empresários conseguiram se adaptar à pandemia e, com isso, o aumento da tributação foi registrado. Mas ainda é preciso cautela.    

Ainda segundo a Receita Federal, a arrecadação foi influenciada também pelo recolhimento do Imposto de Renda Pessoa Jurídica e na Contribuição Social Sobre Lucro Líquido, que foram considerados “atípicos”.

Além disso, as compras do exterior registraram um crescimento de quase 51%, o que possibilitou a arrecadação de R$ 9 bilhões com o Imposto de Importação.