Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

ButanVac: Butantan pede à Anvisa o início dos testes em humanos

Foto: Ronaldo Silva/Pacific Press/Sipa USA

O Estado de São Paulo enviou à Anvisa o protocolo final de estudos clínicos da ButanVac, vacina contra a Covid-19 do Instituto Butantan.

O imunizante é o primeiro que poderá ser produzido no Brasil sem a necessidade de importação dos insumos para a sua produção.

Após a aprovação da agência, os testes de fase 1 e 2 poderão ser feitos em humanos. No início, a ideia é testar 1,8 mil voluntários com mais de 18 anos.

Para isso, os ensaios clínicos devem durar 20 semanas, aproximadamente.

Desde o final de março, com o encaminhamento do Dossiê de Desenvolvimento Clínico de Medicamento da ButanVac, o Butantan vem mantendo contato próximo com a Anvisa.

Com a sua liberação, a proposta do consórcio produtor é de fornecer a vacina, em especial, aos países de baixa e média renda.

Nesse consórcio internacional, o Butantan é o órgão com a maior capacidade de fabricação dos imunizantes, somando 85%.

Com o sucesso dos testes, a intenção é liberar as primeiras cargas do imunizante entre o fim deste ano e o começo do próximo.