Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

STJ concede prisão domiciliar à viúva foragida do miliciano Adriano da Nóbrega

Foto: Reprodução/Redes Sociais

O Superior Tribunal de Justiça concede prisão domiciliar à viúva do miliciano Adriano da Nóbrega, que está foragida.

Julia Emilio Mello Lotufo, de 29 anos, precisará usar uma tornozeleira eletrônica.

No pedido de habeas corpus, a defesa condiciona a entrega da acusada ao acolhimento do pedido de prisão domiciliar.

Os advogados alegam que Julia não se entregou à Justiça porque corre risco de morrer.

Na decisão do ministro Reynaldo Soares da Fonseca, não ficou provado que a acusada está foragida, já que não foram devidamente esclarecidas às diligências adotadas e o esforço empregado para o cumprimento do mandado de prisão.

Além do uso de tornozeleira eletrônica, o ministro determinou a entrega do passaporte, a proibição de manter contato com outros presos e a apresentação ao tribunal quando necessário.

De acordo com a denuncia do Ministério Público do Rio, Julia Lotufo seria a responsável pela contabilidade do grupo paramilitar comandado por Adriano da Nóbrega, que atuava no Rio das Pedras, na Zona Oeste, e é considerada peça fundamental para esclarecer o tamanho do patrimônio adquirido pelo miliciano, que foi morto em 2020, na Bahia.