Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Lucro dos bancos pesa quase tanto risco de inadimplência nos juros

Os bancos sempre justificam os juros que cobram dos clientes dizendo que eles são altos por causa do risco elevado de inadimplência. Em tempos de muito desemprego e renda achatada, isso é verdade. Mas a margem de lucro das próprias instituições financeiras têm quase o mesmo peso nessa conta.

A última pesquisa feita pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) mostra que, em média, os juros estão em 123,71% ao ano no Brasil. Enquanto isso, a Selic,  taxa básica determinada pelo Banco Central, está em 6,5% anuais.

A diferença entre uma e outra é o chamado spread bancário. E ele é composto pelos seguintes custos:

32% – Risco de inadimplência, ou seja, de o pagamento atrasar ou não ser feito.

27% – Lucro dos próprios bancos

20% – Impostos e compulsórios recolhidos pelo governo e pelo Banco Central

20% – Taxa que bancos pagam para tomar recursos no mercado e emprestar novamente (a Selic, de 6,5%)

1% – Despesas administrativas, como aquelas com agências e funcionários

Ou seja: o risco pesa, e muito, mas a margem de lucro das instituições financeiras está ali, lado a lado, puxando os juros para cima.