Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Procons classificam cartilha enviada pelo governo como “ofensiva”

A Associação Brasileira de Procons (Procons Brasil) classifica como “equivocada” e “ofensiva” a cartilha divulgada pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) que classifica consumidores de acordo com determinados perfis.

O documento, cujo título é “Treinamento: Excelência no Atendimento”, foi enviado a órgãos de todo o país e tem orientações de como analisar e registrar as queixas. Num dos trechos, define perfis de consumidores e lista os que são considerados “mais difíceis”, como o “Kid Tocaia” (que agiria com ironia), o “Rambo” (muito nervoso) e o “Frente Fria” (baixo astral).

Em nota distribuída aos dirigentes dos órgãos associados, a Procons Brasil diz que não concorda com a categorização de consumidores nem com a forma de treinamento sugerida pela cartilha. “Os Procons são locais de cidadania e é neste órgão público que acolhemos os cidadãos já fragilizados, atendendo-os com respeito e empatia”, diz a nota.

Para a associação, o envio da cartilha é resultado do esvaziamento de cargos técnicos em diversas coordenações relacionadas à defesa do consumidor.

O Ministério da Justiça informou que o material é de total responsabilidade da Senacon, o que, para a Procons Brasil, demonstra “a falta de coesão da secretaria e de seu departamento jurídico (DPDC), que é responsável pelo assessoramento técnico”.