Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Quatro dicas para encontrar passagens de avião mais baratas

Mês, dia da semana, assentos disponíveis, aeroporto e antecedência: os preços das passagens aéreas mudam de acordo com várias características.

Mas a recente queda do dólar, que recuou mais de 8% no mês de outubro, faz deste um bom momento para quem quer garantir o bilhete para voar para fora do Brasil. Especialmente para Estados Unidos, Europa e Ásia, segundo o economista e editor do site Melhores Destinos, Leonardo Cassol.

“As passagens estão baratas porque os preços em dólar caíram bastante. Como o dólar diminuiu, o preço em reais está bem atrativo. A gente hoje encontra, por exemplo, passagens saindo de várias cidades do Nordeste por R$ 1.200 já com a taxa de embarque. Esse valor a gente não vê há muitos anos”, afirma o economista

A gerente-geral do comparador de preços Voopter, Juliana Vital, destaca que há muitas ofertas, principalmente, para locais em que está frio agora. “A média para Nova York é acima de R$ 2.000, então R$ 1.700 é um preço muito bom, e para viajar em novembro e dezembro há bastante oferta em torno desse preço. Amsterdã costuma custar de R$ 2.300 para cima; hoje, para viajar no final de dezembro ou no início do ano que vem, auge do inverno lá, dá para encontrar passagens por R$ 1.400”, exemplifica.

Os preços são para passagens de ida e de volta, mas para datas não muito próximas das festas de fim de ano. E é preciso, sempre, fazer muita pesquisa. Mas não é só o dólar que tem impacto no preço das passagens. Confira, abaixo, outros fatores que mudam os valores.

1. Oferta e procura
A velha fórmula da oferta e da procura é válida para quase tudo, e também para as passagens aéreas. Ou seja: quando a procura está baixa, o preço também cai; quando a demanda aumenta, o mesmo ocorre com os valores. “O preço das passagens está baixo agora e esse cenário vai durar até quando ocupação das aeronaves estiver baixa. Mas, da última semana para cá, o dólar e o euro caíram e a procura aumentou muito. A demanda está subindo, a ocupação certamente vai subir e, quando chegar no momento em que a ocupação satisfizer as companhias aéreas, os preços vão aumentar”, afirma Leonardo Cassol, do Melhores Destinos.

2. Antecedência
A antecedência “ideal” para compra de passagem varia de acordo com o destino. “Para voos nacionais, o melhor é comprar a passagem de 30 a 45 dias antes da data de voo; para voos internacionais, entre 60 e 80 dias antes”, afirma Juliana Vital, do Voopter. Na alta temporada, no entanto, é mais difícil encontrar passagens baratas mesmo com essa antecedência, porque a ocupação tende a estar grande.

3. Dia da semana
Quem tem o hábito de comprar passagens pela internet já percebeu: às vezes, a passagem está bem mais barata justamente um dia antes ou depois daquele em que o consumidor pretende viajar. É porque até o dia da semana tem interferência no preço. “Geralmente, é mais barato viajar de terça e quinta. O importante é tentar olhar sempre dois dias antes e dois dias depois da data exata em que você quer viajar para ver se existe uma variação de preço muito grande que justifique mudar os planos”, diz Leonardo Cassol.

4. Cadastros em sites de busca
Fazer cadastros nos sites que comparam preços é uma boa. Cada um oferece uma ferramenta diferente, mas todas costumam ser úteis. É possível, por exemplo, receber alertas quando determinado destino entrar em promoção ou pedir para ser avisado quando – e se – a passagem atingir um determinado valor; ou descobrir ofertas relâmpago das companhias aéreas, por exemplo.

Ouça o boletim completo: