Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Black Friday: consumidor mostrou estar mais preparado; lojas, nem tanto

Foto: Agência Brasil

Decepcionado com descontos falsos, fretes altos e atrasos na entrega, o brasileiro foi às compras mais preparado nesta Black Friday, avalia o diretor de operações do Reclame Aqui, Felipe Paniago.

O site registrou aumento histórico de acessos na última sexta-feira; eram consumidores querendo saber a reputação das lojas. “O número de pesquisas e de acessos ao nosso site durante a data vem aumentando muito mais do que o número de reclamações. Isso quer dizer que o consumidor está se prevenindo”, diz Paniago.

Mais de 5,6 mil queixas

As lojas, segundo ele, também melhoraram o atendimento; ainda assim, as reclamações foram muitas: mais de 5,6 mil entre a quarta e o fim da sexta-feira, a maioria relacionada a propaganda enganosa e maquiagem de preço.

“É a data mais importante para o e-commerce no Brasil, mais até do que o Natal. As empresas estão investimento em atendimento e em logística, o que é importante, porque o Brasil é gigante e atrasos vão acontecer. Então, elas estão evoluindo a passos mais lentos do que o consumidor, mas estão melhorando a cada Black Friday.”

Os direitos pós-compra

A assessora técnica do Procon de São Paulo Fátima Lemos diz que, em caso de atraso, a loja tem de dar ao consumidor três opções: desistir da compra, exigir a entrega ou aceitar outro produto similar.

A lei também diz que quem fez a compra pela internet pode devolver o produto, sem custo, em até sete dias úteis, a partir da data de recebimento do item.