Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Empresa é condenada a indenizar família de bebê que morreu asfixiado em berço

A Burigotto terá de pagar uma indenização de R$ 300 mil aos familiares de um bebê que morreu asfixiado enquanto dormia num berço dobrável importado e vendido pela marca em 2015.

A determinação é do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. A empresa tinha sido condenada no mesmo ano, mas recorreu da decisão e o recurso não foi aceito.

A Burigotto afirma que vai analisar os termos da decisão e apresentar novo recurso. “Será considerado o teor do laudo pericial produzido no processo, que foi totalmente favorável à empresa”, diz, em nota.

O bebê tinha seis meses e morreu asfixiado sufocada entre o vão da lateral do berço e o colchão. O caso foi registrado em São Lourenço, no sul de Minas Gerais.

Na época, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) determinou a retirada do berço modelo Nanna do mercado. Estudos do órgão apontaram que o espaçamento indevido entre as laterais e extermidades do berço e do colchão poderiam colocar as crianças em situação de risco.

Logo depois, a própria Burigotto anunciou um recall do produto.

Mais tarde, o Inmetro também anunciou o aperfeiçoamento das normas técnicas para a produção e importação de berços no Brasil.