Diogo Silva aponta leis e formação como barreiras racistas no esporte


    Atleta olímpico de Taekwondo, medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio em 2016, vencedor de 4 word games e duas vezes semi finalista olímpico. É assim que Diogo Silva se resume em poucos caracteres no perfil oficial nas redes sociais. Longe do mundo digital, o paulista de 35 anos, natural de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, é, além de um dos melhores lutadores do país, um defensor dos direitos dos atletas e militante na luta antirracista.

    Sonhando com uma vaga nos Jogos de Tóquio, adiados para 2021, Diogo também revela outros desejos em um bate-papo exclusivo com Luiz Teixeira e Marcelo Do Ó para o programa Na Trilha do Pódio. De preconceitos a censuras em manifestações nos Jogos Olímpicos, o atleta do taekwondo aponta leis e formação como barreiras racistas dentro do esporte e na sociedade.

    Clique no player abaixo e acompanhe a entrevista na íntegra:

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Deixe seu comentário!
    Por favor, informe seu nome